quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Era da Correria

Por George Carlin


Nós bebemos demais, gastamos sem critério. Conduzimos depressa demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, vemos televisão demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos os nossos bens, mas reduzimos os nossos valores.
Nós falamos demais, amamos muito raramente, odiamos frequentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida, mas não a vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não o nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planeamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a apressar-nos mas não sabemos esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande e de carácter pequeno; de lucros acentuados e de relações vazias.
Esta é a era dos dois empregos, de vários divórcios, casas chiques e de lares e corações despedaçados.
Esta é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e de muito, muito pouco na despensa.
Uma era que leva esta carta até si, e que lhe permite dividir esta reflexão ou, muito simplesmente, clicar na tecla 'delete'.
Lembre-se de passar algum tempo com as pessoas que ama, pois elas não vão estar aqui para sempre.
Lembre-se de dar um abraço carinhoso aos seus pais ou a um amigo, pois não lhe vai custar sequer um cêntimo.
Lembre-se de dizer 'amo-te' à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame... ame muito…
Um beijo e um abraço curam a dor, sempre que emanam bem lá de dentro, do fundo de si mesmo. Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre!

Texto enviado por Fabiana Moreno.

3 comentários:

  1. UEBAAAAAAAAA
    Foi eu que mandei este texto..... kkkkkk
    Eu amei e espero que todos leiam, pois essa é a realidade das nossas vidas hoje em dia e precisamos fazer algo para mudar e demostrar mais nossos sentimentos a quem amamos....
    Bjks amiga Má, te adoro muitão!!!!

    ResponderExcluir
  2. Meninas,
    Sou suspeita a falar porque sempre gosto dos textos que vocês postam aqui, mas esse é sensacional, um arraso, merece um "UUAAAUU". rs
    O título do texto já fala por sí só, vivemos na era da correria e muitas vezes vamos nos afastando de coisas e pessoas que amamos sem nem mesmo percebermos. Digo porque eu vivencio isso, aliás quem no século XXI não vive assim ne?
    È como se viesse escrito em alguma parte do manual humano.
    As vezes queremos fazer algo diferente, passar mais tempo ao lado das pessoas que amamos mas o relógio grita aos nossos ouvidos, e a voz é tão irritante que de maneira quase automática saímos para atender esse chamado.
    Ganhei de brinde uns dias em casa e aproveitei para visitar um monte de gente que moram no meu bairro e que a meses eu não encontrava, retornei ligações, cumpri um monte de coisinhas que estavam deslizando pela "agenda"...Estou tão feliz!
    Não dá para ficar de braços cruzados enquanto a realidade grita lá fora, mas temos que saber distribuir o nosso tempo melhor, nos reorganizar, afinal, não dá para acrescentar uma hora a mais no relógio ne?
    Embora isso seja uma boa idéia. ahhasuah

    Beijoos flores!

    ResponderExcluir
  3. Jainy,
    só se você dormir uma hora a menos então. rs

    Linda!!!
    Obrigada por parar um pouco de correr e chegar trazendo carinho até aqui.

    Beijos,
    Fabi

    ResponderExcluir

Pesquisar

Seguir por E-mail

Tags

Amizade Amor Lealdade Maísa Bortoletto Fabiana Ribeiro Saudade Carinho Companheirismo Fé Esperança Poesia Poema Literatura Rubem Alves Dor Perdão Felicidade Paz Mário Quintana Regina Volpato Lya Luft Charles Chaplin Coragem Aniversário Camões Música Anos 70 José Saramago Martha Medeiros Elegância Correria Vida Moderna Mulher Pai Mãe Filhos