quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Pai e Filho


Ele pensava que tudo sabia
Comandava até os sonhos dos seus
Acreditando que inconsequentes sempre seriam
E, mesmo adultos, imaturos
Caminhar o mesmo caminho
Superproteção?
Falta de ação
Mas agora ele já sabe
Sabe que nem tudo sabe
Respostas incertas
Não sei
Sem culpa
Imprevistos e novas possibilidades
Tempo de respirar
Desatar
Viver
Ser
E ele confia e torce
E o filho tudo compreende
Sorri, perdoa
Voa!

Texto: Fabiana Ribeiro e Maísa Bortoletto
Fotografia: Mineiro

4 comentários:

  1. Acho que os pais erram pensando que estão acertando. A superproteção é uma perigosa armadilha. É muito mais fácil se deixar levar pela comodidade e facilidades que ela te proporciona.

    Só que chega uma hora em que o casulo fica apertado demais e a necessidade de se libertar soa mais alto. Voar. Fácil não é. Mas é recompensador.

    Meninas, estou orgulhosa de ler um texto vocês. Façam isso mais vezes.

    Beijos,

    Vanessa Bentzen

    ResponderExcluir
  2. Leonardo Coutinho7 de agosto de 2009 21:51

    Os pais devem soltar os filhos pra vida. Mas sempre dando apoio.

    ResponderExcluir
  3. Meninas,
    que perfeito isso que vocês escreveram. Imensa verdade.
    Superproteção é mesmo uma armadilha, como a Vanessa disse. A sensação de estar sempre protegido é boa, mas nos destrói aos poucos.
    Ainda pegando o gancho da Vanessa, lembrei de um e-mail que recebi. Contava a história de uma borboleta que lutava para sair do casulo. Um homem a observava e resolveu ajudá-la. Rompeu o casulo para que ela saísse. Mal sabia o pobre coitado que todo aquele esforço era necessário para que a borboleta se fortalecesse. Com suas asas murchas, nunca pode voar.
    Tem uma frase do Nietzsche que define bem essa relação de superproteção: “O que me nutre me destrói”

    Adorei o post.
    Escrevam mais, hein?!

    Beijos, measfrô!
    Dai

    ResponderExcluir
  4. Genteee CHOQUEI!
    Que mais bela descrição!
    Como já foi muito em ressaltado, a SUPERPROTEÇÃO é msm uma armadilha.
    Lembrei agora de uma frase, essa eu aprendi com a Rê, ela gostava de falar qdo(no programa) era discutido temas sobre o msm.Era mais ou menos assim:
    "Devemos dar asas e raízes aos nossos filhos.
    Asas para eles voarem bem alto, e raízes para terem para onde voltar".
    Adorooooo!
    Bjuu grande amadas e Parabéns pelo texto, fico tão orgulhosas por poder conviver com gente assim!De verdade!

    ResponderExcluir

Pesquisar

Seguir por E-mail

Tags

Amizade Amor Lealdade Maísa Bortoletto Fabiana Ribeiro Saudade Carinho Companheirismo Fé Esperança Poesia Poema Literatura Rubem Alves Dor Perdão Felicidade Paz Mário Quintana Regina Volpato Lya Luft Charles Chaplin Coragem Aniversário Camões Música Anos 70 José Saramago Martha Medeiros Elegância Correria Vida Moderna Mulher Pai Mãe Filhos